07
Maio
Por Mim, Por você, Pra você e Pra mais ninguém!

Acredito que chegou a hora de expressar de fato minhas opiniões e nesta era da tecnologia não poderia eu expor o veículo ao qual trabalho as minhas opiniões, por isso criei um espaço meu onde aqui sim, pretendo “livremente” expressar minha opinião, alias livremente porque a liberdade de expressão me é garantida por lei.

Não vou fazer alardes a cerca do que pretendo falar ou comentar, não quero aqui dizer que tenho razão ou até mesmo pedir para que me aplaudam, simplesmente decidi “descer do muro” e talvez apimentar ou aprofundar alguns assuntos, claro que quero contar contigo através das suas opiniões também.

A IDÉIA:

Quero aqui compartilhar essa REALIDADE com o meu amigo Aroldo Souza homem da comunicação e que é atualmente o secretário adjunto de comunicação do estado, ao qual no meu último encontro a cerca de um mês em seu gabinete na capital Cuiabá me fez uma espécie de sugestão ou talvez um desafio para que eu expressasse a minha opinião através de artigos, notas e sei lá mais o que. Mas enfim valeu Aroldo, vamos ver como vai essa maré...

Agradecimentos especiais às pessoas que talvez me inspiraram de uma forma ou de outra de mostrar o que penso e começar a mostrar para o mundo o que penso: Língua de Trapo amigo de Foz do Iguaçu; Minha grande amiga também da terra das Cataratas Geilda Nascimento que sempre acreditou no meu trabalho; In Memória a um grande jornalista que me ensinou muito meu grande mestre Herculano Oliveira; Mauro Welter um grande jornalista; Onofre Ribeiro mais conhecido em terra mato-grossense profissional e pessoa a qual tenho grande apreço e admiração; Meu amigo, companheiro de tantas horas e um profissional incrível ao qual tive o prazer de compartilhar muito do que aprendi em mais de 15 anos de profissão Uasley Werneck, aproveito aqui para agradecer a todos os meus atuais amigos de trabalho e parceiros entre eles: Leandro Kewart; Ádonis Barbaia Silva o Magrão; Jéssica Neri; Vilderson Costa; ao meu marido que me acompanha dia a dia nesta batalha que é a comunicação Ari Dorneles e minhas filhas Luíza e Lara e por último a uma pessoa que tem causado e talvez tenha me mostrado esse jeito diferente de fazer as coisas, talvez dele tenha vindo o principal ensinamento de que tudo me é permitido, mas nem tudo me convém, ao jornalista Leandro Nascimento.

PS: Não poderia deixar de agradecer ao Grande João Pedro responsáVel pela criação e pelo desenvolvimento do blog que modéstia parte  ficou LINDO... BRIGADUUUU. Abraços a todo o pessoas do Studio Mega que está arrasando nos trabalhos desenvolvidos nessa área. Weslei companheiro de muitos anos, Arthur - Grande Rei Arthur e todos os demais que ainda não tive o prazer de conhecer. A vocês galera... Valeu de verdade...

JORNALISTAS DE OPINIÃO

Engraçado como as coisas ou os formatos vão ganhando jeitos ou trejeitos...Na história do jornalismo no Brasil ainda na época da Ditadura Militar a gente vê que o jornalismo sempre foi atuante no sentido de tomar uma posição, um lado sei lá como podemos dizer, mas se tinha posicionamento, entrava e enfrentava as brigas de frente. Com o passar dos anos veio um “jornalismo de faculdade” ao qual tínhamos que ter “imparcialidade” e que o bom jornalista não poderia tomar partido, mesmo com esse novo jeito de se fazer jornalismo, se manteve os jeitos velhos através dos jornalistas que desde muito antes do ano 2000 atuavam na área e que hoje o que escrevem através de artigos e opiniões tem pesos relevantes e atravessam as barreiras chegando a um publico que é formador de opinião e indo para um publico de massa. Engraçado como hoje na era tecnológica em que estamos,  as coisas novamente tomam novos rumos, todo mundo quer falar, quer chamar a atenção para algo, quer ter de certa forma sua opinião levada a sério ou pelo menos observada por alguém, hoje simplesmente não damos mais a notícias, os jornalistas fomentam as notícias. E muito mais curiosa, são as proporções que uma determinada situação toma nas redes sociais, uma forma totalmente nova de se fazer jornalismo, e alí também se faz jornalismo porque muitas campanhas, denúncias, discussões de cunho social começam a acontecer nessas redes, através do facebook, twitter, blogs enfim uma infinidade de meios de comunicação que começam a mostrar outro lado.

Para mim que trabalho a algum tempo na área tudo isso pode ser novo, mas pretendo aprender uma forma nova de se trabalhar, talvez seja essa a de falar, de expressar as vezes um sentimento guardado dentro do peito, que por tanto respeito a profissão e a forma da imparcialidade tenha me acorrentando num jeito que quero mudar. Está na hora de fazer diferente. Conto com vocês.

 

 

 

 

 

 

 

 

"“O talento vence jogos, mas só o trabalho em equipe ganha campeonatos.” " - Autor desconhecido!!!
©2019 - Camila Nalevaiko Studiomega